top of page
  • Foto do escritorStela Freesz

VIAGEM NÃO TÃO PERFEITA ASSIM...

Olá! Tudo bem com você?

Já passou algum perrengue em viagem? Pois bem, hoje o texto é da Stela Freesz e ela vai contar o super perrengue que passou, nada mais, nada menos, do que na Rússia! A Stela é formada em Ciências Humanas e em Turismo pela UFJF e também é especialista em Planejamento e Gestão de Eventos pela faculdade Estácio de Sá. Atualmente, ela trabalha no setor hoteleiro. Essa é a hora de pegar seu cafezinho e viajar com a gente!



Em 2014, quando a Rússia ainda não era tão conhecida pelos brasileiros, fui passear com minha irmã. Ficamos na casa da nossa amiga intercambista que hoje a consideramos como irmã russa. Um planejamento perfeito de roteiro afinal, sou turismóloga e estava indo com uma pessoa de lá.

Iríamos ficar um total de 15 dias, que se dividiriam 8 dias Moscou e 7 dias em São Petersburgo. Os dias em Moscou aconteceram tranquilamente e com muito frio e neve (detalhe que fomos na primavera).

Chegamos em São Petersburgo e logo o primeiro destino seria o Hermitage. Como estava frio e lá, acreditem é tudo muito distante, pegamos o ônibus e chegamos no museu. Para quem não sabe, lá tem os dias de entrada gratuita para estudantes e pra tirar fotos é necessário um ticket diferente.

Fomos nesse dia e só íamos comprar o ticket da foto. E cadê minha carteira? Um mão leve pegou minha carteira dentro do ônibus. Perdi meu passaporte, dinheiro, cartão e minha habilitação - levei porque ia experimentar a auto estrada pela primeira vez na vida. Sim, nossa habilitação é válida em qualquer lugar do mundo por 30 dias. Só tinha o equivalente a R$ 1,00 no bolso. E agora?

Confesso que o pânico me pegou e todas as orientações que dava na agência sumiram da minha mente e minha primeira reação foi chorar e querer o Brasil. Liguei para o banco que era o meu cartão e estava tão nervosa que só entendi em russo o que estava sendo falado, ou seja, nada. Liguei então para meu pai, que estava aqui, e ele fez o bloqueio do cartão, ficando também desesperado. Depois, ligamos para a polícia e nos disseram que era necessário fazer o BO. Fato interessante da Rússia: lá a polícia fica te ligando até você chegar na delegacia quando algo acontece com você.

Fizemos o B.O. e minha amiga intercambista ligou para o consulado brasileiro em São Petersburgo. De nada adiantou, pois emissão de passaporte e declaração para conseguir voltar só se fazia em Moscou. Conclusão: voltamos para moscou no mesmo dia (são 8 h de trem para ir e 8 para voltar). Usei o BO pra conseguir entrar no trem.

Dia seguinte fomos ao consulado e primeiro tomei uma bronca por ter deixado tudo junto. Sei que estava errada, mas agora já não adiantava o conselho... A declaração permitia que eu voltasse ao Brasil sem o passaporte, porém o rapaz do consulado disse que eu iria agarrar em todas as migrações e a Interpol iria me fazer milhões de questões mas chegaria um dia. Solução: emitir outro passaporte que era o dobro do valor convencional. Mas com que dinheiro? Minha amiga e eu nos separamos, eu fui tirar a foto e ela foi sacar o dinheiro dela pra me emprestar. E meu pai, daqui do Brasil, às 3h da manha encaminhando qualquer documento meu com foto para o e-mail do consulado. Voltando ao consulado, a papelada toda pronta e só faltava a minha assinatura e do rapaz de lá. Ouço a secretária falar a palavra passaporte o tempo todo no telefone e como já estava ali mesmo com tudo resolvido, esperei um instante até ela finalizar a ligação.

Adivinhem: Acharam meu passaporte em frente a uma farmácia em São Petersburgo. Uma amiga de lá foi ao encontro do policial e confirmou todos os meus dados. Era realmente o meu. Pensa num alívio? Foi meu naquele momento. Não precisei pagar por outro e o meu estava a salvo com minha amiga.

Ela me mandou pelo trem (tem um sistema de encomendas que são postadas diariamente). Dois dias após o episódio do roubo e já estava com meu passaporte de novo.

Perdi todo o resto, mas consegui voltar.

Então ficou a lição: passaporte sempre na doleira, dinheiro um pouco em cada cantinho da bolsa, a carteira no fundo da mochila e mochila para frente sempre. Tire uma cópia colorida daquela página que tem sua foto e seus dados e deixe também na bolsa. Essa cópia pode te salvar.

Mesmo assim perdeu o passaporte: liga pra polícia imediatamente e faça o BO e depois vá ao consulado mais próximo e tenha amigos, pois são eles que te dão todo o apoio psicológico.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page